Foto:Por Edmundo Ubiratan | Imagens: Divulgação em 21 de Julho de 2019 às 10:00
15/08/2019 17:26
Falha nos controles de voo do A321neo exige revisão nos procedimentos de voo
Agência europeia alerta operadores para problema nos sistema que pode levar aeronave a ângulo de voo excessivo

Uma diretriz de segurança foi emitida para os operadores do novo Airbus A321neo referente a uma potencial falha de controle de voo. O alerta da EASA, a Agência Europeia para Segurança da Aviação, alerta para o comportamento anormal do novo avião nos comandos que podem levar a situação de pitch excessivo, com efeito do nariz da aeronave subir demasiadamente.

O problema está relacionado ao ELAC L102 (Elevator Aileron Computer) que controlar os sistemas de profundores e do aileron do avião. Em determinadas situações e manobras especificas o computador poderá comandar um excesso de atitude, colocando a aeronave em situação de risco.

A Airbus introduziu uma revisão temporária nos manuais do A321neo, seguindo a diretriz 2019-0171 de 17 de julho, solicitando aos operadores que informem as tripulações em até 30 dias sobre as recomendações para pilotagem em determinadas fases e situações de voo.

Entre as mudanças está em uma padronização dos ângulos e velocidades em procedimentos, que de acordo com o fabricante não existe nenhum risco de acidente caso todos os procedimentos sejam cumpridos.

MODELOS REMOTORIZADOS

O problema remete as falhas no sistema MCAS do Boeing 737 MAX, que embora sejam distintos e com efeitos diferentes no voo, elevaram o estado de alerta das agências reguladoras, que estão exigindo maior atenção a procedimentos diversos nas versões remotorizadas.

Texto/Fonte: Boletim Semanal AERO Magazine