Foto:Por Edmundo Ubiratan | Imagens: Divulgação
24/09/2019 18:55
Aeronave que atua na defesa da Amazônia é modernizada
Olhos no céu e na terra. Embraer moderniza plataforma de alerta aéreo antecipado que passa a ser designada como E-99M



 

E-99M no pátio sendo preparado para o primeiro voo

O primeiro E-99M realizou o primeiro voo após o processo de modernização ser iniciado pela Embraer. O voo marca a conclusão de mais uma etapa do projeto, que dará maiores capacidades a plataforma de alerta aéreo antecipado da força aérea.

O processo de modernização incluiu a completa desmontagem de todos os equipamentos e um redesenho da organização interna da aeronave, que recebeu um layout que permitirá uma nova configuração interna dos sistemas e consoles. A aeronave modernizada seguirá o padrão adotado pela FAB da inclusão da letra “m” após o nome, passando a ser oficialmente chamada de E-99M. “O voo concretiza o término de uma das fases da modernização, demonstrando que a aeronave está em condições de voo frente a todo esse complexo desenvolvimento”, explica Wilson Paulo Corrêa Marques, coronel aviador e gerente do projeto de modernização da aeronave.

O E-99M será operado pelo Esquadrão Guardião (2°/6° GAv), na Ala 2, baseado em Anápolis, em Goiás.

 

“A modernização possibilitará uma melhor visualização dos tráfegos, que mais informações sejam captadas, um incremento na capacidade de atuação em um ambiente de guerra eletrônica, além de uma melhoria na coordenação dos sistemas embarcados”, destaca Felipe Francisco Espinha, tenente-coronel aviador e comandante do Esquadrão Guardião.

O E-99 foi concebido pela Embraer em conjunto com a Força Aérea Brasileira no final dos anos 1990, permitindo ampliar a capacidade de alerta e de gerenciamento do espaço aéreo brasileiro, completando o complexo programa de vigilância da Amazônia e de todo o território nacional. A aeronave baseada na plataforma do EMB-145 recebeu um radar multimissão, sendo capaz de detectar alvos aéreos e transmitir as informações para os centros de controle em terra, cumprindo ainda missões de controle e alarme em voo, com a participação de aeronaves de caça em voos de defesa aérea, de busca e salvamento e de vigilância e controle do espaço aéreo.

“O E-99M terá ampliada a sua capacidade de integração com as novas plataformas da FAB, como por exemplo o F-39 Gripen e o KC-390”, conclui o coronel Wilson.

 

A FAB espera poder integrar de forma completa todas suas aeronaves, mantendo assim a capacidade de defesa diante dos avanços militares que estão ocorrendo em todo o mundo.

Texto/Fonte: Boletim Semanal AERO Magazine